ricardo carvalho + joana vilhena
arquitectos

 
rcjv arquitectos

projectos

publicações

joana vilhena


ricardo carvalho
 

escola lima de freitas

exposição tratado dos olhos

a room for mexico city

apartamento em santa catarina

hotel nas vinhas do douro

exposição
the time machine

exposição
aica 30 anos de arte
 

exposição
30 anos aica arquitectura


exposição
edp novos artistas

centro cívico de santa cruz

centro de documentação apl

house in luanda

mude

escola sebastião da gama

escritório na baixa

novaforum

ciuc

casas na vila utopia


edificio em viseu

bar left

apartamento na sé

exposição
ruy jervis athouguia


sede da oa em faro

casa em vilamoura

casa em aljezur

exposição
prémio secil arquitectura


exposição m.n.e.

consultório

hospedaria em sintra

  mude







O projecto de instalação provisória do Museu do Design e da Moda consiste numa intervenção no edifício do antigo Banco Nacional Ultramarino, em plena Baixa Pombalina de Lisboa, na Rua Augusta. O projecto que chegou até nós é da autoria do Arquitecto Cristino da Silva (iniciado em 1952) e caracterizava-se pelo piso térreo inteiramente dedicado ao atendimento dos clientes do banco, com uma forte relação urbana com as quatro ruas que envolvem o quarteirão e, o mais importante, um ambiente marcado pelos materiais de grande solidez e sofisticação construtiva. O balcão em pedra é capaz de desenhar por si só todo o espaço e marcar o quarteirão pelo interior.

No início desta década o Banco mudou de proprietário e foi profundamente adulterado, tendo sido o projecto de remodelação interrompido por motivo de preservação patrimonial. Desde então o edifício ficou sem os revestimentos originais e com a estrutura de betão à vista. Em 2009 a Câmara Municipal de Lisboa adquiriu o edifício para aí instalar o Museu do Design e da Moda.

O projecto que desenvolvemos responde a uma instalação provisória do museu, com espaço para mostrar a colecção, espaço para exposições temporárias, livraria e cafetaria e ainda um espaço de programação cultural com capacidade para cem pessoas.

A proposta baseia-se numa primeira leitura que fizemos do espaço no piso térreo. Trata-se do único quarteirão na Baixa Pombalina passível de ser visto no interior sem obstruções significativas. O projecto partiu desta singular possibilidade perceptiva e propôs a instalação do novo programa sem recurso à construção de paredes. Foram necessárias demolições pontuais para clarificar a matriz da intervenção. A iluminação artificial apodera-se de alguns elementos construídos e investe na imaterialidade da luz para reforçar a presença da estrutura em betão armado e, principalmente, das peças da colecção.

A obra caraceriza-se pela presença expressionista da estrutura em betão à vista, mas também pelos materiais que provenientes do universo da construção – telas, paletes, réguas fluorescentes, pinturas industriais. As peças ocupam o espaço de modo informal e estabelecem uma relação de proximidade com o visitante. A cafetaria com a sua mesa única em cortiça acusa a presença do museu com uma janela que o avista, mas também a das ruas da Baixa Pombalina.

O projecto foi demolido em 2016. 

 
 
rcjv

rcjv

rcjv

rcjv

rcjv

rcjv

| topo |

rcjv

rcjv

rcjv

| topo |

rcjv

rcjv

rcjv


play video rcjv play video
MUDE - atmosphere MUDE - 3x3 glass MUDE - components


 


Projecto: Museu do Design e da Moda (Instalação Provisória)

Localização: Rua Augusta, Lisboa, Portugal

Data: 2009

Arquitectura: Ricardo Carvalho Joana Vilhena Arquitectos

Equipa: Joana Vilhena, Ricardo Carvalho, José Maria Rhodes Sérgio, José Roque, Francisco Costa e Sebastião Taquenho.

Estrutura: ARA/ Fernando Rodrigues

Instalações e Equipamentos Hidráulicos, Redes de Fluídos: AFA Consult/ Fernando Coutinho

Instalações e Equipamentos Eléctricos: AFA Consult/ Luís Oliveira

Design Gráfico: Atelier Pedro Falcão

Cliente: Museu do Design e da Moda/ Câmara Municipal de Lisboa

Empreitada: Canas Correia S.A. (empreitada geral)/ Lev (electricidade) e Condar (ar condicionado)

Fotografia: © Fernando Guerra/ FG+SG

| topo |