ricardo carvalho + joana vilhena
arquitectos

 
rcjv arquitectos

projectos

publicações

joana vilhena


ricardo carvalho
 

 
escola lima de freitas

exposição tratado dos olhos

a room for mexico city

hotel nas vinhas do douro

apartamento em santa catarina

exposição
the time machine


exposição
aica 30 anos de arte


exposição
30 anos aica arquitectura


exposição
edp novos artistas


centro cívico de santa cruz

centro de documentação apl

house in luanda

mude


escola sebastião da gama

escritório na baixa

novaforum

ciuc

casas na vila utopia


edificio em viseu

bar left

apartamento na sé

exposição
ruy jervis athouguia


sede da oa em faro

casa em vilamoura

casa em aljezur

exposição
prémio secil arquitectura


exposição m.n.e.

consultório

hospedaria em sintra
  luanda







A casa é o lugar onde mito e necessidade se encontram. O acto de construir a casa não delimita apenas o interior, funda também o espaço que está lá fora. Habitar implica a circunscrição de um espaço, um limite material ou físico, criando a dualidade entre exterior e interior. A casa desenha a rua, e ao mesmo tempo enquadra e ampara a vida quotidiana. Em Luanda a vida desenrola-se em igual medida no exterior e no interior, e a proposta potencia esta realidade. A proposta que apresentamos recorre a elementos de arquitectura intemporais. Recinto, Pátio, Escada, Pavilhão e Terraço. O recinto é o lote fornecido, que na proposta apresentada permite que a associação de duas casas possa tirar partido desses espaços intersticiais de solo permeável. A repetição de lotes poderá gerar um universo de espaços privados, semi-privados e públicos, gerando complexidade.

O pátio cilíndrico é o elemento de fundação da proposta. Os pavilhões, que entendemos serem os espaços domésticos, envolvem o pátio comunicando com este. A casa é composta por espaços cuja função importa não definir à partida. A flexibilidade e realismo da proposta provém da não especificação do destino dos espaços. Os moradores poderão apropriar-se da casa de um modo inesperado, dividir espaços ou mudar a utilização destes.

A escada exterior de acesso ao terraço duplica-se e constitui a frente de rua. A repetição deste elemento gera uma identidade urbana. Os terraços são a afirmação do lugar semi-privado onde todas as actividades podem ocorrer. A vida poderá ocorrer nos terraços na sua vertente mais pública, e para lá do muro o mundo interior da vida privada desenrola-se em torno a um pátio circular.

 
 
escritorio_advogados

escritorio_advogados



| topo |





 


Projecto: Casa em Luanda. Patio e Pavilhão (concurso/ shortlist)

Localização: Luanda, Angola

Data: 2010

Arquitectura: Ricardo Carvalho + Joana Vilhena Arquitectos

Equipa: Joana Vilhena, Ricardo Carvalho, Francisco Costa e Nuno Gaspar

Maquetas: Raquel Mendes

Estruturas: ARA/ Fernando Rodrigues

Instalações e Equipamentos Hidráulicos: AFA Consult/ Paulo Gonçalves Silva

Instalações e Equipamentos Eléctricos: AFA Consult/ Raul Serafim Barros da Silva

Cliente: Trienal de Arquitectura de Lisboa

Fotografia: rcjv arquitectos


| topo |